O rei de Havana, de Pedro Juan Gutiérrez - Editora Alfaguara

O rei de Havana, de Pedro Juan Gutiérrez - Editora Alfaguara
O rei de Havana
Editora Alfaguara
Ano: 2017
Número de páginas: 184
Cortesia da Editora

Pedro Juan Gutiérrez é, sem nenhuma dúvida, um dos autores mais intensos e contundentes que já tive a oportunidade de ler. Em O rei de Havana, publicado no Brasil pela Editora Alfaguara, Gutiérrez nos envolve e até mesmo choca com sua linguagem crua, direta e sem nenhuma "maquiagem". A verdade é que isso não chegou a me surpreender, pois já tive contato com a escrita do autor em Fabián e o caos. De toda forma, verdade e força narrativa são coisas que sempre me deixam encantada, e isso há de sobra aqui.

A história nos apresenta Reinaldo, ou Rei, um garoto cuja vida miserável, marcada por uma tragédia familiar, leva-o a ter que sobreviver, completamente sozinho, em mundo hostil. Após fugir de um reformatório, Rei passa a perambular pelas ruas de Havana, relacionando-se com pessoas tão sujas e tão miseráveis quanto ele, que vão desde prostitutas, que topam qualquer parada, até velhas (velhas mesmo) que fazem qualquer coisa para relacionar-se com um garoto. E é nesse meio improvável, regado a muito rum, muita sujeira e muito sexo, que Rei encontra, a sua maneira, um amor autodestrutivo.

Embora o narrador seja em terceira pessoa, o foco narrativo se mantém em Rei, fazendo com que haja bastante envolvimento da parte do leitor em relação ao protagonista. Rei é um personagem que nos toca profundamente em seu desamparo. Por vezes sentimos o peito apertar. A narrativa é acre e visceral, os personagens mostram-se apáticos diante de sua crescente degradação. O rei de Havana é uma obra para quem busca uma leitura profunda, um mergulho na essência do humano.

O rei de Havana, de Pedro Juan Gutiérrez - Editora Alfaguara

Para comprar: Cultura | Amazon

A zona morta, de Stephen King - Editora Suma de Letras

A zona morta, de Stephen King - Editora Suma de Letras
A zona morta
Autor: Stephen King
Editora Suma
Ano: 2017
Número de páginas: 479
Cortesia da Editora

Quando penso que Stephen King não pode mais me surpreender, leio mais um de seus livros e descubro que estava errada. Com que gosto li A zona morta, publicado pela Editora Suma de Letras, e me descobri reencontrando personagens de Cujo, outro livro do autor que li recentemente. Não direi que personagens são esses, e como eles aparecem, para não estragar a surpresa daqueles que quiserem ler os dois livros. 

A obra conta a história do jovem professor John Smith, que vive um início de namoro com a também jovem professora Sarah Bracknell. Os dois passam horas agradáveis, divertindo-se em uma feira regional, mas na hora de voltar para casa, John decide dar uma parada em uma barraca para jogar roleta. Algo estranho ocorre. Utilizando-se de premonições sobre os números a serem jogados, John ganha uma boa quantia em dinheiro. Porém, sua sorte não está tão boa assim, pois ao voltar para casa, após despedir-se de Sarah, John sofre um grave acidente de carro e fica em coma por quase cinco anos.

A zona morta, de Stephen King - Editora Suma de LetrasQuando ninguém mais esperava que o nosso protagonista acordasse, ele começa a dar sinais de vida. Como dá para imaginar, o seu retorno ao mundo dos vivos não será nada fácil. Além das questões físicas, pois os ligamentos de seu corpo já estavam começando a atrofiar, John terá de enfrentar uma realidade completamente diferente da que conhecia há cinco anos. Sua mãe está ficando maluca e sua namorada casou-se com outro homem. Mas ainda há um outro problema: as habilidades premonitórias de John estão ainda mais fortes, basta que ele toque em alguém, ou em algum objeto para que tenha uma de suas visões. E não é muito fácil lidar com isso.

John consegue dar uma utilidade a esse seu talento ajudando a polícia a descobrir quem é o serial killer que aterroriza a cidade de Castle Rock (esse é o momento em que reencontramos personagens de Cujo). Quando a tranquilidade parecia estar de volta à vida de John, ele aperta a mão de um candidato durante uma campanha política. O que ele vê o aterroriza de tal forma, que ele passa a viver em função disso. É então que inicia o 
grande dilema da vida de John.

Pense em um livro que verdadeiramente prende o leitor. King é mesmo um mestre, sabendo dosar muito bem elementos de suspense, de drama e de paranormalidade, com uma pitada de romance. John é um personagem que nos comove profundamente. Imagine dormir, em um certo dia, com uma vida feliz, emprego, namorada e tudo nos eixos e acordar no outro dia com sua vida virada de cabeça para baixo. O relacionamento de John e Sarah também é muito comovente. O sentimento que os une é muito verdadeiro, é impossível não torcer pelos dois. O texto, como todos os que já li de King, é impecável. O autor vai largando alguns elementos que parecem soltos e que, no decorrer da narrativa, vão se juntando, como se fosse um quebra-cabeça, para no final fazer todo o sentido.  De um a dez, dou nota mil para A zona morta.

A zona morta, de Stephen King - Editora Suma de Letras


Para comprar: Cultura| Amazon

Anna e o Planeta, de Jostein Gaarder - Editora Seguinte

Anna e o Planeta, de Jostein Gaarder - Editora Seguinte
Anna e o Planeta
Autor: Jostein Gaarder
Editora Seguinte
Ano: 2017
Número de páginas: 168
Skoob
Cortesia da editora.

Se você é do tipo que defende ou simpatiza com a causa do nosso tão maltratado planeta Terra e sua conservação, Anna e o Planeta, do escritor  norueguês  Jostein Gaarder, Editora Seguinte, é um livro escrito para você. A personagem que dá nome ao livro, é uma garota que está prestes a completar dezesseis primaveras, e começa a ter uns sonhos meio estranhos com Nova, a menina que será sua bisneta, no ano de 2082.

Através dessas mensagens, a nossa jovem protagonista descobre que, no futuro, o planeta será devastado, ao ponto de o único contato com a maior parte de nossa flora e de nossa fauna se dar de forma virtual. Por causa desses sonhos, e pelo modo como Anna os leva a sério, os pais da moça decidem levá-la  para consultar com um psiquiatra. O Dr. Benjamin mostrou-se, além de um bom médico, um bom amigo, compartilhando com a protagonista alguns de seus ideais. Então, iniciamos uma jornada, em companhia de Anna, para descobrir se os sonhos da garota são, de fato, realidade ou se não passam de fantasia.

A obra levanta a bandeira da defesa do planeta e de sua biodiversidade, sem tornar-se excessivamente didática ou panfletária, o que é muito positivo. A leitura é leve e agradável, o texto flui e prende a atenção ao mesmo tempo, pois nos mantém engajados com a luta de Anna, que se torna a nossa luta também. Além de uma ótima leitura, a obra nos traz uma excelente reflexão sobre os rumos que estamos tomando, no que se refere à preservação do planeta, e sobre o nosso papel nesse contexto. Foi minha primeira leitura de Jostein Gaarder e, depois dessa, estou animada para começar O mundo de Sofia e todos os demais livros do autor. Anna e o Planeta, é  uma obra juvenil, mas possui todos os ingredientes para agradar o público adulto também. 

Anna e o Planeta, de Jostein Gaarder - Editora Seguinte

Para comprar: Cultura | Amazon

O órfão de Hitler, de Paul Dowswell - Editora Planeta

O órfão de Hitler, de Paul Dowswell - Editora Planeta
O órfão de Hitler
Autor: Paul Dowswell
Ano: 2016
Número de páginas: 272
Cortesia da Editora

Ambientado na Alemanha hitleriana, O órfão de Hitler, de Paul Dowswell, é mais uma grata surpresa da Editora Planeta. Digo isso porque, embora tenha escolhido ler esse livro por ser apaixonada pelo tema, devo confessar que tive um certo receio de que a obra repetisse um pouco do que se encontra em O menino no alto da montanha, de John Boyne. Em ambos os livros nos deparamos com meninos órfãos que precisam sobreviver à Alemanha de Hitler, e que têm como marca do início de uma nova vida a mudança de nomes. No livro de Boyne, Pierrot torna-se Pieter; no livro de Dowswell, Piotr torna-se Peter. Mas posso garantir que as semelhanças param por aí. Definitivamente, O órfão de Hitler  é um livro com personalidade própria e, sobretudo, com brilho próprio.

O órfão de Hitler, de Paul Dowswell - Editora PlanetaA história inicia com Piotr, um menino polonês, recém órfão, e muito assustado, que acaba de cair nas mãos dos nazistas. Nesse início conseguimos vislumbrar, através de analepses, um pouco como era a vida do menino em família, até o momento em que seus pais morrem. Mas Piotr é um garoto de sorte (ou não, dependendo do ponto de vista), pois em virtude de sua aparência ariana, o jovem é acolhido pela comunidade nazista, indo viver com a família Kaltenbach, composta pelo professor Franz Kaltenbach, sua esposa e suas três filhas. 

Convivendo com nazistas, Piotr começa a aprender sobre as maravilhas do nazismo, que pretende depurar a humanidade, livrando-a de raças impuras. A saudação Heil Hitler passa a fazer parte de sua vida. Piotr passa a se chamar Peter e torna-se um jovem hitleriano exemplar. Mas embora o menino tenha mudado por fora e se adaptado completamente, em seu íntimo ele era atormentado por dúvidas e medos. Aos poucos Peter vai percebendo a crueldade do sistema ao qual ele agora pertence. É nesse momento que ele conhece jovens que, como ele, não aceitam o nazismo, entre eles a jovem Anna, o que marcará uma nova e perigosa mudança em sua vida. 

O que mais me tocou no livro foi a mensagem de esperança que ele passou, com a ideia de que sempre haverá pessoas dispostas a resistirem, a não sucumbirem às crueldades do mundo. Sobretudo, pessoas dispostas a se ajudarem mutuamente. A escrita do autor é deliciosa, compensando o peso do tema e os momentos de tensão pelos quais o leitor passa no desenrolar da narrativa. É uma leitura repleta de humanidade, que nos emociona e que, mesmo após concluída, custa a sair de nossos pensamentos. Livro mais que recomendado.

O órfão de Hitler, de Paul Dowswell - Editora Planeta

Para comprar: Saraiva | Cultura

O segredo do alquimista (Ben Hope 1), de Scott Mariani

O segredo do alquimista, de Scott Mariani
O segredo do alquimista
Autor: Scott Mariani
Editora Fundamento
Ano: 2014
Número de páginas: 384
Cortesia da editora

O segredo do alquimista, de autoria de Scott Mariani, publicado no Brasil pela Editora Fundamento, é o primeiro livro da série Ben Hope. Simplesmente não dá para largar esse livro! Benedicte Hope, ou Ben Hope, é o nosso protagonista, um homem atormentado por um acontecimento do passado sobre o qual nada sabemos no início da narrativa. Ben trabalha resgatando vítimas de sequestro, e é muito bom no que faz. Ele não acredita que a melhor forma de resolver um sequestro seja envolvendo a polícia, pois na maioria dos casos a vítima não sobrevive. Então, ele resgata essas pessoas, em sua maioria crianças, com muito sucesso.

O segredo do alquimista (Ben Hope 1), de Scott MarianiApós concluir mais um trabalho bem sucedido, Ben é perturbado em seu descanso pelo telefonema de um homem que se denomina Alexander Velliers, funcionário de Sebastian Fairfax, dizendo que seu patrão solicita os seus serviços. Ao encontrar-se com Fairfax para saber detalhes do trabalho, Hope descobre que ele deverá encontrar, não uma pessoa, mas um manuscrito feito por um alquimista chamado Fulcanelli, que teria vivido no início do século passado, e desaparecido sem deixar pistas. Sabendo que tal manuscrito salvará a vida de uma criança, Ben aceita o desafio. 

É então que sua vida vira de cabeça para baixo, e ele, acompanhado de Roberta, uma pesquisadora que estuda a alquimia, começa a ser perseguido por uma sociedade secreta da qual ele nada sabe. A narrativa possui um ritmo bastante acelerado, o que nos torna cativos da obra, pois ficamos sempre querendo saber o que acontecerá a seguir. A trama é muito inteligente e nos envolve desde o início, nos deixando intrigados a cada mistério novo que surge. Acredito que um dos pontos fortes do livro seja o aspecto íntimo de Ben, que mesmo sendo um homem de ação, treinado para as maiores adversidades, possui um conflito interno, e é justamente isso que o leva a resgatar crianças sequestradas. Conseguimos acompanhar, junto com a peripécias pelas quais Ben passa, uma mudança que ocorre em sua forma de sentir, e em como ele demonstra  os próprios sentimentos. Gostei muito de como os personagens se estruturam, de como eles foram construídos de forma tão convincente. Devo confessar que já estou querendo muito ler o livro 2 da série. Recomendo a obra àqueles que gostam de sentir-se arrebatados por uma leitura gostosa.

O segredo do alquimista (Ben Hope 1), de Scott Mariani

Para comprar: Editora Fundamento

Poesias reunidas, de Oswald de Andrade - Editora Companhia das Letras

Poesias reunidas, de Oswald de Andrade - Editora Companhia das Letras
Poesias reunidas
Editora Companhia das Letras
Ano: 2017
Número de páginas: 328
Cortesia da editora

A leitura de poemas é algo sempre tão subjetivo que, por vezes, fica difícil de falar sobre esse gênero literário. No entanto, tentarei deixar aqui as minhas impressões sobre esse livro, principalmente por entender o valor que uma obra desse quilate tem para a literatura brasileira. Poesias reunidas, de Oswald de Andrade, é um presente da Editora Companhia das Letras aos amantes da boa poesia. 

Poesias reunidas, de Oswald de Andrade - Editora Companhia das LetrasOswald de Andrade, foi um dos mais polêmicos e mais ativos modernistas. Além de poemas, escreveu romances, peças de teatro, crônicas, ensaios e manifestos. Essa publicação reúne a obra poética do autor em um só volume. Além disso, ao final do livro encontramos a sua fortuna crítica, Com textos de Carlos Drummond de Andrade, Haroldo de Campos e Mário da Silva Brito.Uma das coisas que mais me seduz na poesia de Oswald Andrade é sua capacidade de dizer muito com tão poucas palavras. Seus poemas, quase sempre tão enxutos, rendem-nos boas reflexões. Veja, por exemplo, o poema Erro de português, transcrito abaixo:

Quando o português chegou
Debaixo d'uma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio teria despido
O português

Outra coisa que me encanta é a mistura da poesia com as artes visuais, que ocorre em alguns poemas do autor. Um dos exemplos de que mais gosto é o poema As quatro gares, que consegue, em quatro tópicos de poucas palavras e alguns desenhos, resumir uma vida inteira. O poema foi publicado originalmente no livro Primeiro caderno do aluno de poesia Oswald de Andrade. Perceba que os desenhos que compõem o poema lembram rascunhos infantis. 


Poesias reunidas, de Oswald de Andrade - Editora Companhia das LetrasPoesias reunidas, de Oswald de Andrade - Editora Companhia das Letras


Alguns dos poemas presentes na obra já eram do meu conhecimento, mas garanto que, tanto os textos conhecidos, quantos aqueles com os quais tive o primeiro contato, valem ser lidos e relidos. Leitura mais que recomendada!


Poesias reunidas, de Oswald de Andrade - Editora Companhia das Letras

Para comprar: Saraiva | Cultura

A História do século XX, de Martin Gilbert - Editora Planeta

A História do século XX, de Martin Gilbert - Editora Planeta
A história do século XX
Editora Planeta
Ano: 2016
Número de páginas: 856
Cortesia da editora.

Os fatos históricos ocorridos entre os anos de 1900 a 1999 são narrados nesse livro de forma detalhada e organizada. A história do século XX, de Martin Gilbert, foi publicado pelo selo Crítica, da Editora Planeta. Acontecimentos como as duas grandes guerras, além das guerras da África do Sul, da Etiópia, da China, da Espanha, da Coréia, do Vietnã, entre outras, são detalhados de forma bem acessível. 

A História do século XX, de Martin Gilbert - Editora Planeta

Na leitura da obra, ficamos com a impressão de que o século XX foi uma espécie de século dos excessos. Enquanto a ciência e a medicina avançaram tremendamente, houve retrocessos causados por tiranos, ditadores e genocidas. Gilbert destaca que o século foi marcado pelo confronto entre a supremacia da lei e a anarquia, entre a defesa dos direitos humanos e a destruição desses direitos.

A História do século XX, de Martin Gilbert - Editora Planeta

O livro possui várias fotografias, em preto e branco, de acontecimentos históricos. Ao final encontramos diversos mapas e um índice remissivo que ajuda bastante quando precisamos encontrar algo específico. A obra é farta em citações, o que me agrada, pois demonstra um embasamento teórico. O trabalho de pesquisa por parte do autor foi impecável. A obra é uma preciosidade para quem aprecia estudos históricos. 

A História do século XX, de Martin Gilbert - Editora Planeta

Para comprar: Cultura | Amazon