A vida em verso e reverso: reflexões sobre o ano que inicia

Quem de nós já não passou por momentos de profunda tristeza ao se deparar com os reveses da vida? Quem já não chorou sozinho, tendo por única testemunha o travesseiro? Embora sejamos criaturas únicas, há sentimentos que são comuns a todos nós, e as tristezas e decepções estão entre esses sentimentos. Mas o desejo de recomeçar, a vontade de superar mágoas antigas (algumas nem tanto), a fé na vida e em um futuro que nos recompense e nos traga algum alento também são sentimentos comuns a todos nós, e estes nos movem em direção a um caminho de busca pela felicidade e pela realização de nossos sonhos. 

Talvez seguindo internamente um modelo que a própria natureza nos traz, sabemos que dentro de nós também haverá sempre um sol que brilhará após uma noite escura, que mesmo nas piores tempestades, esse sol estará esperando que as nuvens se dissipem para aquecer a nossa alma novamente. É o princípio da esperança que nos move, que faz com que nos levantemos a cada dia. E eis que, após as lágrimas, esse sol volta a brilhar na luz dos nossos olhos, ou em um sorriso aberto e sincero.

Não é à toa que, para a maioria de nós, comemorar o Ano Novo é algo tão importante, embora saibamos que o dia primeiro de janeiro nada mais é do que um dia como qualquer outro, que vem após o 31 de dezembro. Mas utilizamos essa data como um símbolo de recomeço e da esperança que temos em um futuro melhor. Uma espécie de ritual de passagem. Pensei muito sobre o que desejo que o próximo ano represente, não só para mim e minha família, mas para o mundo. Só coisas boas, claro. Então dei-me conta de que não há um só dia que não traga a sua noite, de que os dias nublados fazem parte da vida, tanto quanto os ensolarados. Por isso, desejo sim que o ano que inicia seja abençoado para todos nós, repleto de realizações e felicidade, mas desejo também, que tenhamos força, clareza e lucidez suficientes para enfrentar os momentos mais difíceis, pois certamente eles existirão. Espero que possamos usufruir cada verso desse poema chamado vida, mas que saibamos manter o equilíbrio quando essa mesma vida nos apresentar o seu reverso.