Aguapés, romance de Jhumpa Lahiri - Editora Globo

Aguapés, romance de Jhumpa Lahiri - Editora Globo
Jhumpa Lahiri, ou se preferirmos chamá-la pelo seu nome verdadeiro, Nilanjana Sudeshna, é uma escritora de origem indiana, nascida em Londres e criada nos Estado Unidos, o que a faz considerar-se americana. Casada como o jornalista Alberto Lahiri Vourvoulias-Bush, vive na Itália com o marido e com os dois filhos. Com sua obra de estreia, Intérprete de Males, a autora ganhou o prêmio Pulitzer, em 2000. 

O romance intitulado Aguapés, publicado pelo Selo Biblioteca Azul da Editora Globo, conta-nos sobre dois irmãos da família Mitra, Subhash e Udayan, nascidos e criados em Calcutá, na Índia. Companheiros inseparáveis na infância, ao tornarem-se adultos, seguem caminhos distintos. Udayan envolve-se com um movimento que pretende a libertação do povo, que teve seu início na década de 1960 e  constitui-se em um conflito armado entre o governo indiano e o grupo maoísta conhecido como naxalita. O jovem torna-se terrorista e perseguido pela polícia. Subhash, ao contrário, segue para os Estados Unidos para fazer o seu doutorado, e de lá só retornará em visita, em situações bem específicas. Constrói sua vida na América, termina o doutorado, faz pós-doutorado e segue carreira acadêmica.

Aguapés, romance de Jhumpa Lahiri - Editora Globo

Ao despedirem-se, os dois irmão não sabem que o destino os separará para sempre, que nunca mais se verão. Assim como não sabem que, esse mesmo destino que os separará, ligará os dois para sempre através de uma mulher e de uma criança. A mulher é a jovem Gauri, estudante de Filosofia, uma intelectual dotada de grande inteligência, que carrega em seu ventre a filha de Udayan, Bela. Uma mulher que carrega consigo uma culpa que a assombra. Uma mulher que, apesar de grávida, não foi feita para a maternidade. 

Entre tantos encontros e desencontros, os personagens vivenciarão situações de dor, de abandono, de rejeição, mas também de amor, de lealdade e de dedicação. É uma obra primorosa, lindamente escrita, que explora com maestria o humano em sua essência. Mais que recomendo Aguapés, de Jhumpa Lahiri.

Aguapés, romance de Jhumpa Lahiri - Editora Globo

31 comentários:

  1. Puxa....esse livro parece bem triste....daqueles que nos faz chorar....
    Excelente resenha!
    Um.abraço
    Camila Bernardini Coelho
    www.machosfera.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Camila! É um livro que nos faz refletir muito sobre a vida. Grata pelo comentário!

      Excluir
  2. Puxa....esse livro parece bem triste....daqueles que nos faz chorar....
    Excelente resenha!
    Um.abraço
    Camila Bernardini Coelho
    www.machosfera.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Ainda não conhecia o livro, mas a forma como você falou dele me fez pensar muito em O silêncio das Montanhas, do Khaled, acontecem coisas parecidas.
    Confesso que achei o livro bastante interessante e estou com bastante vontade de ler. Já anotei a dica.
    Quero entender como essa moça entrelaça a vida dos personagens. Entretanto, tenho certeza que chorarei com a leitura.
    Beijos
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li O Silêncio das Montanhas, mas se há semelhanças, já me interessei. Fico feliz que a obra tenha chamado a tua atenção. Eu adorei a leitura e recomendo. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  4. Olá...
    Não conhecia o livro, parece com clássico pela descrição de sua resenha... a história parece ser bem triste, porque uma mãe que não nasceu para ser mais fica grávida... fico imaginando como é a vida da criança ou se a mãe muda após o nascimento do filho... são coisas para se pensar mesmo... apesar disso, eu não pretendo ler o livro. Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, não posso falar muito sobre a obra sem correr o risco de spoiler, mas o que posso dizer é que a criança sobrevive a essa mãe e, um dia, também se torna mãe. É uma história muito bonita! Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  5. Oi
    Que capa linda. A historia parece bem emocionante.
    Sou muito sensível nas leituras, com certeza choro lendo esse livro.
    bju
    www.lelendolido.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, a capa é muito bonita. Aliás, os livros da Biblioteca Azul, da editora Globo, geralmente possuem capas lindíssimas. Também sou sensível e acabo me envolvendo muito com os personagens, sei bem como é! Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  6. Olá, Tatiana.
    Por gostar muito de histórias que tenham alguma referencia a Índia, eu me interessei por ele. Gostei dos temas abordados também. Já fiquei aqui imaginado o que essa mãe ir fazer por não ter nascido para a maternidade. A capa é linda e eu leria sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Sil, é uma leitura que vale muito a pena. Eu amei! Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  7. Nossa, esse livro parece ser bem triste, com tantos encontros e desencontros da vida... Qd vi a capa, imaginei que fosse algo completamente diferente do que vc escreveu... Bem que se diz para nunca se julgar um livro pela capa... Mas gostei de sua resenha. Não é dos meus favoritos, mas gostei de sua abordagem.
    Bjks!
    Hanna Carolina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Hanna, é mesmo um erro julgar um livro pela capa, embora eu aprecie capas belas. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  8. Uau, não conhecia a obra. Adorei saber sobre ela, flor, e sobre a autora. Acho que nunca li nada escrito por um indiano. O que é uma pena, porque tenho certeza de que seria uma obra sensível e diferente… Com um ponto de vista menos materialista sobre a vida. Fiquei muito interessada por essa obra. Pareceu-me sensível e muito humana, do tipo que nos faz sentir o que os personagens sentem. Anotei a dica.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogpost.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jhumpa Lahiri tem origem indiana, mas é uma mulher do mundo, que tem contato com culturas diversas. Nasceu em Londres, cresceu nos Estados Unidos e hoje vive com o marido na Itália. Ainda assim, a cultua indiana é muito presente na obra, e o livro é, de fato, muito interessante. Eu recomendo! Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  9. Achei muito legal o fato da obra explorar o ser humano em sua essência, e gosto muito de obras com encontros e desencontros. Mas não sei bem o que esperar da ambientação da obra, não consigo me envolver muito com leituras que tenham o foco em culturas muito diferentes, e não sei quanto da história ocupa a parte do Udayan, então não sei se leria. Vou ver se encontro mais informações a respeito.

    Beijo.

    Ju - Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, Udayan é um personagem muito marcante na vida de todos os demais personagens. Ele está presente na vida de todos, o tempo todo, mesmo quando está ausente. Não poderia te dizer mais do que isso, sem correr o risco de cometer o pecado do spoiler. Claro que leitura é uma questão de afinidade, então, nem sempre o que é uma boa leitura para mim, será para outras pessoas. De qualquer forma, para mim, a leitura valeu a pena e eu recomendo! Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  10. Menina para este trem que eu quero subir!!!! Já me apaixonei pela obra. Sério, histórias assim me arrebatam e me deixam muito curiosa. A forma como você descreveu o livro me deixou encantada e por segundos me senti dentro da história e adorei!

    Já anotei o titulo aqui e o nome da autora para saber mais sobre ela!
    abraços!
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que a resenha te deixou tão entusiasmada, Vanessa! O meu sentimento em relação a obra foi exatamente esse. Eu adorei e recomendo. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  11. Olá!
    Não conhecia o livro e curti a resenha, parece ser uma história bastante interessante.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas | SORTEIO 250 SEGUIDORES! NOS SIGA E PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito interessante mesmo, Thalita. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  12. Não conhecia o livro e pela capa eu não leria. Mas após ler sua resenha fiquei curiosa com a história e com esse foco em explorar a essência humana. Adorei a resenha.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Glaucia! Às vezes as capas nos enganam mesmo. No meu caso, essa capa não me enganou, pois eu a achei lindíssima e, ao ler o livro, fiquei apaixonada pela obra. Grata pelo comentário!

      Excluir
  13. Que história linda e sensível. E adorei ela ser ambientada na Índia, nunca li nenhuma obra se passando nesse país. Adorei a trama! Ótima dica!
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Dessa, a infância e juventude dos personagens é toda vivida na Índia. Depois os protagonistas mudam para os Estados Unidos e vão à Índia somente de visita. Mesmo assim, a Índia está presente na obra, através de seus personagens, do início ao fim. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  14. Primeiro, que capa mais linda! Não conhecia o livro mas ele já começou me ganhando pela capa.
    Pela sua resenha parece ser uma história triste, mas ao mesmo tempo linda, sensível e que merece uma chance.
    Não é exatamente meu estilo comum de livro, mas com certeza daria uma chance. Até porque é bom ler estilos diferentes... E conheço uma amiga que vai adorar a indicação desse livro :)

    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, acho que às vezes é bom lermos coisas diferentes do que costumamos. É uma maneira de aprendermos coisas novas e de nos abrirmos para novos horizontes. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  15. Ooi,
    Não conhecia o livro, gostei bastante da capa mas a premissa não me cativou tanto assim... Acho que no momento não estou no clima para esse tipo de leitura. Mas anotei a dica aqui!
    Vitória Zavattieri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, acho que, de fato, o clima é fundamental. Quando não estamos prontos(as) para uma leitura, ela não será satisfatória, ainda que o livro seja bom. Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  16. Oi confesso que não conhecia o livro e se não fosse por sua resenha me passaria despercebido com todo a certeza, devido a capa não ter chamado tanta minha atenção , mais me interessei pela premissa parece ser um livro muito interessante e bem triste , no momento eu não o leria , mais acho que vale a pena colocar em minhas metas...
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Aline, é um livro muito interessante. Quem sabe mais adiante, né? ;)
      Obrigada pelo comentário!

      Excluir