terça-feira, 11 de agosto de 2015

Fatalidade - Miniconto


Santiago queria ser ermitão, pois achava que não valia a pena viver de acordo com padrões com os quais não concordava. Sentia-se envenenado por uma sociedade desumana e de valores distorcidos. Onde quer que fosse, deparava-se com o problema. No trabalho descobriu uma conspiração contra o chefe, liderada por alguém que queria tomar o seu lugar. “Ninho de cobras”, pensou ele. No mesmo dia, ao chegar em casa cansado, encontrou, na entrada do prédio, duas vizinhas tramando contra uma terceira. Novamente o ninho de cobras. Desiludido, deu um basta! Resolveu morar numa gruta onde costumava brincar quando criança. Levaria uma vida simples, plantaria para comer e passaria o resto de seus dias meditando para alcançar a iluminação. Um dia, porém, seus familiares receberam notícias do jovem ermitão através de geólogos que estudavam a gruta. O rapaz fora encontrado morto. Sua mãe, inconformada, queria saber o motivo de tal fatalidade. Mordida de cobra, responderam.

Texto publicado originalmente no Scribe.

Se você gostou de Fatalidade - Miniconto, Leia também: